Fazenda Capão Alto participou da 13° Semana Nacional de Museus

Fazenda Capão Alto participou da 13° Semana Nacional de Museus

A Fazenda Capão Alto participou pela primeira vez da Semana Nacional de Museus, circuito promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus que fomenta a realização de atividades especiais em espaços culturais, uma forma de celebrar o Dia de Museus, comemorado internacionalmente em 18 de maio.

O Espaço Cultural Fazenda Capão Alto disponibilizou visita guiada durante o mês de maio, com foco especial na Exposição Rodas do Tempo, a fim de proporcionar aos visitantes maior compreensão acerca da história do local e da cidade de Castro.

Uma mostra prévia dos vestígios encontrados durante a pesquisa arqueológica foi montada especialmente para a 13° Semana de Museus e ficará em exibição até o dia 10 de junho.  Os itens apresentados são do corte estratigráfico n. 2, feito próximo às ruínas da capela. O processo de estudo arqueológico ainda está em andamento, mas já resultou na coleta de materiais dos séculos XVIII e XIX. Futuramente será realizada a exposição completa dos vestígios encontrados.

O tema desta edição da Semana era Museus Para uma Sociedade Sustentável e, com o intuito de fomentar a discussão em torno do assunto, o Espaço Cultural Fazenda Capão Alto promoveu 0 Seminário sobre Patrimônio Histórico e Cultural como Ferramenta para a Sustentabilidade, no dia 22 de maio. O evento contou com cinco palestrantes: Celise Helena Niero, gerente do Sesc Paço da Liberdade (Curitiba); Fábio André Chedid Silvestre, curador do Espaço Cultural Fazenda Capão Alto; Igor Chmyz, responsável pela pesquisa arqueológica na Fazenda; Luiz Marcelo Bertoli de Mattos, conselheiro do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná e de Paranaguá e integrante da equipe que produziu o estudo que levou ao tombamento da Fazenda Capão Alto, na década de 80; e Ronie Cardoso, procurador geral do município de Castro.

Os pontos abordados no Seminário foram preservação de bens históricos e culturais, revitalização, reintegração e uso social do patrimônio e a situação dos bens históricos de Castro. Voltado aos agentes culturais, turísticos e ao empresariado regional, o evento contou com mais de 50 participantes, inclusive com integrantes do Programa Corredor Cultural, de Curitiba.